Seguidores

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Hoje, 01/11, é o Dia Mundial do Veganismo. 

O veganismo é uma filosofia, um estilo de vida, um sistema de ideias, um movimento cujo volume de adeptos vem aumentando rapidamente em todo o mundo graças a uma crescente conscientização sobre os direitos dos animais, questões ambientais, qualidade de vida e saúde: cada vez mais lojas e restaurantes veganos são abertos, os supermercados têm cada vez mais opções de produtos e alimentos veganos. O termo “veganismo” foi cunhado em 1944 por Donald Watson, cofundador da Vegan Society na Inglaterra, que nos conta: 

“Uma das minhas primeiras lembranças é a de passar férias na fazenda de meu tio George, cercado por animais interessantes. Todos eles “davam” alguma coisa: o cavalo da fazenda puxava o arado, o cavalo menor puxava a charrete, as vacas “davam” leite, as galinhas “davam” ovos e o galo era um “despertador” muito útil; não sabia naquele tempo que ele também tinha outra função. As ovelhas “davam” lã. Nem de longe imaginava o que “davam” os porcos, mas pareciam criaturas tão amistosas... sempre felizes em me ver. Então, chegou o dia quando um dos porcos foi morto: eu ainda trago lembranças vívidas de todo o processo, incluindo os gritos. Claro... decidi que as fazendas — e os tios — tinham de ser reavaliados: o cenário idílico não passava de uma sequência sem fim de mortes, onde os dias de cada criatura estavam contados a partir do momento que deixasse de ser útil para os seres humanos”.

A partir daí, Donald passou a pôr em prática a sua convicção de que “o homem deveria viver sem explorar os animais”, o que muito deve ter contribuído para que vivesse uma vida longa e sem problemas de saúde, falecendo em casa, aos 95 anos, de causas naturais.

***

No dia de hoje, o pisciano homenageado não poderia deixar de ser um ilustre vegano.



Flavio Giusti (23/02) pode não ser uma baita celebridade ou uma estrela de Hollywood, mas sua contribuição para o veganismo como youtuber é inestimável. Seus vídeos do VegetariRANGO derrubam por terra aquelas frases que muitas pessoas usam como desculpa esfarrapada para não se tornarem vegetarianas/veganas, como, por exemplo: "Mas, se eu virar vegetariano, o que eu vou comer?" ou "Nossa, você é vegetariano? Se não come carne, come o quê?". Bom, que tal começar por uma bela feijoada:



Receita fácil de feijoada vegetariana. VegetariRANGO #29: FEIJOÃO ROCK N' HORROR, com a participação do também pisciano João Gordo (13/03). 


Designer gráfico, escritor, poeta, músico, ator, modelo, diretor de arte e mais uma pá de coisas, Flavio deixou de consumir carne há 24 anos, tornou-se vegano há cinco e foi pioneiro na divulgação digital do vegetarianismo no Brasil. Em 1997, quando a internet ainda engatinhava por aqui, Flavio foi um dos primeiros a colocar no ar um site sobre vegetarianismo, o "Alma Vegetariana". Por volta de 2003/2004, ele coordenou a colocação do terceiro outdoor vegetariano do Brasil, divulgando-o em cinco cidades do interior de São Paulo, o que gerou uma "repercussão bem legal na época", conforme ele mesmo descreve no vídeo abaixo.



O VegetariRANGO, seu canal no YouTube que já conta com mais de 100 mil inscritos e 220 mil curtidas no YouTube, é a prova incontestável de que qualquer pessoa pode virar vegetariana/vegana e comer não apenas muito bem e gostoso, como também muito melhor – sem causar sofrimento aos animais.



Lombo recheado, bacalhoada, crepe, estrogonofe, torta holandesa, bolos, polpeta, pizza, bife, risoto, torta, rocambole, hambúrguer, coxinha, tender, pavê de chocolate, sushi, enroladinho e até churrasco são apenas algumas das receitas veganas que Flavio apresenta em seu canal, sempre regadas com bastante humor. Em 2015, ele lançou o livro Manual de Sobrevivência do Vegetariano na Cozinha: receitas fáceis, rápidas e sem frescura, uma coletânea das receitas que apresenta em seu canal – a obra contém também algumas deliciosas surpresas. 



Flavio demonstra no especial do seu canal "Receitas Famosas" que é possível reproduzir em casa – com muito poucos recursos – várias receitas de produtos industrializados ou de restaurantes famosos que possuem ingredientes de origem animal em sua composição original. Ele recriou, por exemplo, em versão vegana, a batata assada do Baked Potato...





... o Cheddar McMelt...




... o Big Mac...




... o Doritos sabor nachos...




... o kibe frito do Habib's...




... a esfiha de queijo do Habib's...




... a pizza de peperoni do Pizza Hut...




... os nuggets de legumas da Sadia...




... o biscoito de polvilho Globo...




... o sorvete de creme da Kibon...




... o sorvete de pistache da Häagen Dazs...




... o Magnum...




... a Nutella...




... o Ferrero Rocher...




... o chocolate Prestígio...




... e até o Chocottone Bauducco!




Ah! Sem falar na cerveja amanteigada do Harry Potter!



E aí, vai dizer agora que quem vira vegetariano/vegano morre de fome ou passa vontade?


Flavio Giusti, maquiado de zumbi.



Confira veganos homenageados nos outros signos:








Sagitarianos


Cancerianos

Arietinos